O olhar 360° da Unilever para a saúde de seus colaboradores

No Brasil, os transtornos mentais e comportamentais, como altos níveis de estresse, já representam a terceira maior causa de afastamento dos profissionais. Mais de 17 mil casos de concessão do auxílio-doença e da aposentadoria por invalidez foram registrados entre 2012 e 2016 com esses motivos, segundo o Boletim Quadrimestral sobre Benefícios por Incapacidade, divulgado pela Secretaria de Previdência do Ministério da Fazenda.

Em maio deste ano, a Organização Mundial da Saúde (OMS) incluiu o esgotamento profissional, conhecido como síndrome de burnout, na Classificação Internacional de Doenças, utilizada para estabelecer tendências e estatísticas de saúde. A medida entrará em vigor a partir do dia 1 de janeiro de 2022.

O problema foi descrito como “uma síndrome resultante de um estresse crônico no trabalho que não foi administrado com êxito” e que se caracteriza por três elementos: “sensação de esgotamento, cinismo ou sentimentos negativos relacionados a seu trabalho e eficácia profissional reduzida”.

 

 

Veja também