É necessário (e urgente) falar sobre o assédio no ambiente corporativo

Por Gabriela Ferigato

No último ano, o número de denúncias ligadas a relacionamento interpessoal nas empresas subiu 50,4%. As situações mais denunciadas nessa categoria foram as práticas abusivas, como o assédio moral e sexual, a agressão física, a discriminação e o preconceito (26,4%), segundo levantamento da ICTS Protiviti, filial brasileira da consultoria americana de ética e compliance e que administra canais de denúncia para 322 companhias no país.  

Em março deste ano, a Câmara dos Deputados aprovou um projeto que torna crime o assédio moral no trabalho. A proposta, que ainda deve passar pelo Senado, configura a questão como “ofender reiteradamente a dignidade de alguém, causando dano ou sofrimento físico ou emocional, no exercício de emprego, cargo ou função”.